segunda-feira, 25 de março de 2013

Cheerleader



De volta ao clube dos solteiros, passei a noite desta segunda-feira me perguntando como afinal de contas seria o amor da minha vida. Fiz mil jogos de adivinhações.

Sei que torço para que ele goste de pizza de pepperoni, séries, e seja viciado em filmes. Espero que adore sexo, conheça suas nuances, queira aprender e ensinar. Que se renda sempre ao ímpeto de me tomar em seus braços e me beijar como se o mundo fosse acabar naquele instante.

Não torço por sua cor, peso, idade, religião ou escolha política. Torço para que saiba o que quer da vida, tenha atitude e me tire para dançar, mesmo que eu dê lá os meus pisões em seus pés. Torço para que goste de sair para comer, não importa se para experimentar a esfiha do boteco da esquina ou um filet no La Tambouille.

Torço para que goste de cães e não seja o John Cusack, já que ele mora muito longe. Torço para que veja graça nos meus gestos mais sutis. Torço para que goste de frio e aprecie o delicioso cheiro de terra molhada. Torço para que goste de viajar, ou ao menos tenha planos a respeito... comigo! Seja para a cidadezinha ali do lado ou para outro continente.

Torço para que respeite gostos musicais. Que dê uma topada com o dedinho na quina do móvel, pragueje, e deixe passar. Que cometa gafes e saiba rir de si mesmo.
Torço para que pratique e entenda ironias, sem forçar.

Torço para que goste de ter ao seu lado uma mulher que manda cortar a franja sem planejar e faz convites sem saber exatamente para onde, mas gosta de ter hora pra voltar. Que saiba que muitas vezes por trás dessa mulher decidida há uma carinha de pidona que aparece sem avisar. Torço para que também tenha um plano de vida que inclua namorar, noivar e casar. Saboreando cada etapa desse processo.

Torço para que, mesmo quando se sentir derrotado, conteste, argumente, não se renda sem lutar. Torço para que dê o sangue por tudo que acreditar.

Torço para que entenda o significado de "eu te amo".
Torço para que exista. Não para agora. Agora, quero é sossego.

Um comentário:

Milla Pupo disse...

Sempre que leio seus textos eu me identifico de alguma forma, esse particularmente achei lindo, pela esperança que anda em falta e pela sinceridade :)

Tô na torcida, na sua, na minha e de quem mais acreditar no amor.

Beijo!